Buscar

Erros que o MEI não pode cometer

Se tornar um MEI traz consigo responsabilidades, o que pode trazer o surgimento de erros durante a jornada do empreendedor. Este artigo tem como intuito te ajudar a compreender os erros mais comuns cometidos pelos MEI's e, dessa forma você poder adotar medidas preventivas para que seu negócio alcance os objetivos desejados dentro da legalidade.


1) Falta de um plano de negócio: é importante para compreender como o mercado funciona, qual é o comportamento dos seus potenciais clientes e de seus concorrentes. Além de ajudar na compreensão de quais os requisitos necessários para colocar seu produto ou serviço no mercado e traçar metas de curto, médio e longo prazo.


2) Não se atentar ao processo de abertura do MEI: antes de mais nada, é preciso levar em consideração o próprio processo de abertura. Certificar-se que está em conformidade dentro dos passos a serem seguidos para realizar o cadastramento, fazendo o correto enquadramento das atividades e, a obrigatoriedade ou dispensa de alvarás e licenças.


3) Não separar as finanças da empresa das finanças pessoais: evite ao máximo pagar suas contas pessoais com o dinheiro da empresa, separe um pró-labore para você, contrate um contador para ajudá-lo a organizar o processo.


4) Falta de organização financeira: é preciso gerir o fluxo de entradas e saídas de dinheiro, controle dos pagamentos de fornecedores, funcionário, custos e recebimentos.


5) Não pagar o DAS: o Documento de Arrecadação do Simples Nacional, corresponde ao único recolhimento mensal de imposto obrigatório para o MEI, ele possui um valor fixo que em 2022 está R$ 61,60 para comércio e 65,60 para serviços e, deve ser pago até o dia 20 de cada mês. O não pagamento do DAS, além das multas, poderá ocasionar em cancelamento automático do CNPJ, além de originar dívida em seu CPF.


6) Não estar atento à atualização das leis: a modalidade MEI possui obrigatoriedades legais que devem ser cumpridas, assim como possibilidades de mudanças fiscais controladas pelo governo.


7) Ultrapassar o faturamento anual: o limite máximo de renda bruta anual, até a presente data, é de R$ 81 mil reais. Caso tenha ultrapassado até 20% do teto do faturamento, ou seja, R$ 97.200,00 você será desenquadrado do regime MEI e se tornará uma Microempresa. Nesse caso você deve continuar emitindo a guia DAS normalmente até o mês de dezembro do ano em exercício. E, no mês de janeiro, você vai precisar emitir uma guia DAS complementar com a incidência de uma taxa extra sobre o valor total que ultrapassou o limite estabelecido.


8) Ultrapassar o limite de compras: existe por lei um limite de compra, portanto, você só pode comprar 80% do seu faturamento. Partindo da premissa que o MEI pode faturar R$ 81 mil no ano, você só pode comprar R$ 64.800. Além disso, toda compra deve estar amparada por documento legal (NFe).


9) Entrega da Declaração Anual: todo MEI é obrigado a fazer a Declaração Anual de Faturamento, mesmo se não teve faturamento no ano anterior,


O mercado está cada dia mais competitivo, os clientes estão mais exigentes, a concorrência acirrada e, vender um produto ou serviço se torna uma tarefa cada vez mais difícil. Mas começando de forma correta, com auxílio de uma contabilidade, o negócio tem todas as possibilidades para prosperar.


#planejamento #anonovovidanova #faturamento #lucro #empresacontabil #gestaofinanceira #demonstracoescontabeis #balancetes #balancopatrimonial #legalizacao #departamentopessoal #gestaofiscal #planejamentotributario #gestaodenegocios #regimetributario #impostos #fiscal #contabil #contabilidade #contator #contabilidadeembh #contabilidadebh #agio #agiocontabilidade #contabilidadeemcontagem #contadores #contabeis #cienciascontabeis #contabilize #fiscal #legalizacao #tiresuasduvidas #faleconosco